Cirurgia Reconstrutiva na Medicina Veterin√°ria

Cada vez mais nossos pacientes, cães e gatos, estão próximos dos seus tutores e
são considerados membros da família, exigindo do profissional Médico Veterinário
especialização e habilidades específicas para abordar cada caso. Dentro da cirurgia geral,
a cirurgia reconstrutiva tem ganhado destaque, pois permite o fechamento de grandes
defeitos com os objetivos de manter a estética e principalmente a funcionalidade da
regi√£o afetada.


Defeitos de origem traumática e advindos da exérese de neoplasmas são as
causas mais comuns da necessidade de intervenção reconstrutiva. No entanto, é
importante lembrar que s√£o situa√ß√Ķes que ir√£o exigir abordagens e cuidados
completamente diferentes. Feridas traum√°ticas, geralmente exigem preparo do leito
cir√ļrgico em rela√ß√£o a contamina√ß√£o/infec√ß√£o e o ideal √© que apresente tecido de
granula√ß√£o. Este preparo pode levar dias ou semanas, e desbridamento cir√ļrgico da
ferida pode ser necess√°rio no primeiro momento.


Quando lidamos com a ressecção de neoplasmas já temos que nos atentar aos
conceitos de cirurgia oncol√≥gica. √Č muito importante, quando o cirurgi√£o n√£o √©
oncologista, trabalhar em conjunto com o oncologista clínico para decidir a melhor
abordagem diagnóstica e terapêutica para cada paciente. De toda forma, é essencial ao
cirurgião o conhecimento da biologia tumoral, da manipulação correta do sítio
cir√ļrgico, abordagens e margens cir√ļrgicas, manipula√ß√£o e troca dos instrumentais e
panos de campo com o objetivo de evitar recidivas e a disseminação de células
neopl√°sicas.


Em ambos os casos os preceitos de cirurgia reconstrutiva devem ser empregados
e respeitados. Muitos detalhes comp√Ķe uma cirurgia reconstrutiva, desde o planejamento
minucioso, adequada manipulação dos tecidos e até o manejo pós operatório, que
podem interferir no resultado da cirurgia. Complica√ß√Ķes p√≥s-operat√≥rias como
deiscência de sutura, necrose e seroma podem acontecer até certo ponto. No entanto, o
planejamento adequado e a execução da técnica corretamente minimizam as
intercorrências.

Leitura Sugerida:

  • Castro JLC et. al. (2015) Princ√≠pios e t√©cnicas de Cirurgias Reconstrutivas da Pele
    de C√£es e Gatos. Curitiba: Medvep. 1 ed., cap. 11, p.160-161.

Artigos relacionados

Respostas

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você ainda não fez sua assinatura de Cães e Gatos?

Clique no link

E assista a uma simula√ß√£o cir√ļrgica narrada exclusiva da nossa assinatura!